Rk Motors
0
0
0
RK Motors - Tudo para seu carro, moto ou caminhão. O seu guia automotivo!
RK Motors - Tudo para seu carro, moto ou caminhão. O seu guia automotivo!
Descubra por que os carros elétricos, menos danosos ao meio ambiente e uma promessa para o futuro, ainda são tão caros no Brasil.

Por que um carro elétrico é tão caro e inacessível no Brasil?

Publicado em 18/06/2021, por RK Motors

Descubra por que os carros elétricos, menos danosos ao meio ambiente e uma promessa para o futuro, ainda são tão caros no Brasil.

carro elétrico no brasil rk motors

 

Carros elétricos são uma promessa para o futuro, embora já existam no presente. Mais econômicos e menos danosos ao meio ambiente, ainda custam muito caro e estão em seletas garagens no Brasil.

 

Não é segredo para ninguém que os veículos comuns, movidos à combustão, emitem muitos gases poluentes. Para o futuro, portanto, precisamos de alternativas que sejam menos danosas, como os carros elétricos.

 

Ao longo deste texto, nós vamos discorrer sobre os principais motivos que levam o preço dos carros elétricos para as alturas. O valor da bateria e o dólar, podemos antecipar, são alguns dos motivos.

 

Vamos lá?!

 

Por que o carro elétrico ainda não é uma realidade no Brasil?

 

O ano de 2020 registrou um aumento nas vendas de carros elétricos e híbridos no Brasil. Se em 2019 foram quase 12 mil, o ano seguinte teve um salto para quase 20 mil.

 

O crescimento de 66,5%, aliás, é curioso se compararmos com as vendas de carros leves com motores à combustão: uma queda de 26,2% em comparação com o ano anterior.

 

Ainda assim, ter um carro elétrico na garagem ainda é um sonho distante para a grande maioria dos brasileiros. Isso porque esses modelos são muito caros e só cabem nos bolsos mais polpudos dos brasileiros.

 

Mas quais os motivos para isso?

 

Preço das baterias e carga tributária

 

Sempre que se pergunta sobre os valores elevados dos carros elétricos no Brasil, alguém fala a respeito das baterias. E não estão errados, infelizmente. As baterias dos carros elétricas são bem caras e acabam elevando o preço desses veículos.

 

Os carros elétricos possuem motores elétricos que usam baterias tracionárias, em geral de íons de lítio (mas também há de níquel de hidreto metálico; de chumbo-ácido; e supercapacitor). Eles armazenam a eletricidade que o motor usa para acionar as rodas do veículo.

 

Ou seja, sempre que se pressiona o pedal do acelerador, o carro entrega energia ao motor, que passa a consumir, de modo graduado, a energia da bateria. Vale lembrar que o motor elétrico também pode atuar como uma espécie de gerador, em momentos de desaceleração.

A tendência, aliás, é que o preço das baterias para carros elétricos caia ao longo desta década, permitindo que esses veículos se tornem mais baratos e comuns no dia a dia.

 

No entanto, a carga tributária é outro fator bem importante. Ainda que os impostos sobre os carros elétricos tenham caído nos últimos anos, eles continuam pesados.

 

Vejamos: até 2015, o imposto de importação era de 35%. A partir de então, no entanto, acabou sendo zerado, enquanto a importação do carro híbrido caiu para 2%. Já o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), por sua vez, caiu de 25% para 9%, em 2019.

 

Falta de estrutura

 

Não é comum, no Brasil, postos de recarga de veículos elétricos. Em geral, eles estão em grandes cidades e, ainda assim, em pequenas quantidades.

 

Há projetos para aumentar a presença desses postos, mas ainda não é uma realidade. Desse modo, não é sequer atrativo para fabricantes levarem unidades de carros elétricos para certas regiões do país. Possuir uma boa estrutura é essencial para o crescimento dos carros, portanto.

 

Em contrapartida, existe um equipamento chamado wallbox. Ele deve ser instalado nas garagens das casas, em tomadas de 220 voltz, e podem recarregar a bateria dos carros durante a noite.

 

Dólar alto

 

Outra razão que eleva o preço do carro elétrico do Brasil é a sua ligação com o dólar. Esses veículos têm produção em outros países, então o Brasil precisa importá-los.

 

No entanto, isso acaba atrelando o seu valor diretamente com a oscilação do dólar. Se acaso o dólar está baixo, também cai o valor do carro elétrico. Mas, se o dólar sobre, com ele vai para as alturas o preço do carro elétrico.

 

Vale lembrar que, atualmente, o dólar está acima dos R$ 5, valor alto que compromete as importações.

 

Vantagens do carro elétrico

 

Sem dúvida alguma, você deve ao menos imaginar que os carros elétricos apresentam uma série de vantagens em relação aos carros à combustão. Mas vamos falar um pouco mais sobre elas para que você conheça ou refresque a memória.

 

Em primeiro lugar, vale a pena destacar que os carros elétricos emitem menos poluentes ao meio ambiente, tornando-se uma opção bem viável para o futuro. A propulsão elétrica é capaz de reduzir em cerca de 30% a geração de gás carbônico.

 

É verdade que carros elétricos não liberam fumaça enquanto circulam, mas há produção de gás carbônico em sua fabricação. Ainda assim, é uma opção bem acima dos veículos comuns, não é mesmo?

 

Do mesmo modo, os carros elétricos entregam mais eficiência energética. De todo o total, eles consomem cerca de 90% da eficiência energética, número bem maior do que os 30% a 40% que os motores à combustão podem aproveitar.

 

Vale a pena falar sobre a manutenção mais em conta desses veículos. Pense que não vai ser preciso substituir filtros de óleo e de ar nem velas de ignição ou correias dentadas.

 

Da mesma maneira, tem-se um menor desgaste das peças e a manutenção acaba se resumindo na limpeza e no ajuste dos freios, bem como no balanceamento e na rotação, alinhamento das rodas e mais alguns processos. Estima-se que há uma economia de 20% a 30% nas manutenções de carros elétricos.

 

Carros elétricos também são mais silenciosos e não apresentam ruídos em seu funcionamento. Do mesmo modo, oferecem desempenhos melhores do que os carros à combustão.

 

Por fim, a energia elétrica é mais barata que a gasolina, o diesel e o etanol. Em tempos de combustíveis tão caros como os atuais, pagar menos para se movimentar em um carro seria uma ótima ideia, não é mesmo?

 




LEIA MAIS: