Rk Motors
0
0
0
RK Motors - Tudo para seu carro, moto ou caminhão. O seu guia automotivo!
RK Motors - Tudo para seu carro, moto ou caminhão. O seu guia automotivo!
Um estudo realizado pela Denox em parceria com a MedNet, com cerca de 10 mil motoristas, apontou os principais fatores que colocam em risco a vida dos caminhoneiros nas estradas.

Cansaço é responsável por 60% das situações de riscos dos caminhoneiros

Publicado em 26/08/2021, por RK Motors

Um estudo realizado pela Denox em parceria com a MedNet, com cerca de 10 mil motoristas, apontou os principais fatores que colocam em risco a vida dos caminhoneiros nas estradas.

 

caminhoneiro cansado - rk motors

 

Segundo o levantamento, 60% das situações de perigo estão relacionadas ao cansaço. Já as distrações, como o uso do celular, são 40% dos casos.

 

Cerca de 80% dos motoristas avaliados contaram se sentir sonolentos no final da jornada, a causa é a repetitividade da função e as longas estradas. Já 40% dos entrevistados disseram ter sono, independente do tempo de trabalho, devido a distúrbios do sono ou problemas psicológicos.

 

O levantamento também evidenciou que 30% dos motoristas estudados possuem problemas de saúde que colaboram para a fadiga, incluindo problemas de sono, pressão alta, diabetes, obesidade e problemas psicológicos – como depressão e ansiedade. O estudo identificou também que os intervalos de horários das 5h às 7h e das 11h às 14h, são  os mais tendentes a causar cansaço nos condutores de caminhão.

 

Como é feito o monitoramento?

 

O estudo foi realizado utilizando um sistema de monitoramento de Fadiga, da Denox, alocadas nos caminhões para trazer segurança e controlar as condições físicas dos condutores por Inteligência Artificial e Visão Computacional. Os dados são levados para análise e, se necessário, os motoristas são encaminhados para o acompanhamento médico na MedNet. Mais de 1,5 mil motoristas são testados diariamente pela empresa. Do total, 20% dos motoristas tem alguma obervação nos exames médicos de rotina e passam a ser monitorados pela Torre de Fadiga mais de perto.

 

”Com o uso da tecnologia, buscamos identificar situações de fadiga, um problema sério entre os motoristas que pode causar a sonolência e, consequentemente, uma série de acidentes”, explica Bráulio Lalau de Carvalho, CEO do Grupo MXT, que controla a Denox e a Maxtrack.

 

O monitoramento é feito através de imagens captadas em tempo real por uma câmera acoplada ao painel do caminhão. Com o uso de Internet das Coisas (IoT), Inteligência Artificial e Visão Computacional, as imagens são estudadas pelo computador de bordo e, se identificada alguma anormalidade, o motorista recebe um alerta na cabine e as imagens são enviadas de forma automática e em tempo real para análises da equipe médica e da transportadora.

 

“Por meio da análise automatizada da Torre de Fadiga, avisos são enviados rapidamente para as empresas e os motoristas que não estão em condições ideais para dirigir são encaminhados para atendimento médico com equipes multidisciplinares. Com essa identificação, conseguimos evitar que eles sigam viagem com sintomas que podem causar situações de perigo e acidentes”, justifica o CEO do Grupo MXT.

 

Vídeo





LEIA MAIS: