Rk Motors
0
RK Motors - Tudo para seu carro, moto ou caminhão. O seu guia automotivo!
RK Motors - Tudo para seu carro, moto ou caminhão. O seu guia automotivo!
A produção de motos brasileiras atingiu o maior patamar no primeiro semestre de 2021, contabilizando 568.863 unidades produzidas pelas fábricas do Polo Industrial de Manaus.

Produção de motos no Brasil cresce 45% em 2021

Publicado em 09/07/2021, por RK Motors

A produção de motos brasileiras atingiu o maior patamar no primeiro semestre de 2021, contabilizando 568.863 unidades produzidas pelas fábricas do Polo Industrial de Manaus.

produção-motos-brasil-2021-rkmotors

 

Segundo a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo) o resultado é o melhor para o período desde 2015, quando foram fabricadas 697.540 motocicletas. Comparado ao ano passado o aumento foi de 45%, quando foram produzidas 392.217 unidades.

 

Em junho, 105.450 motocicletas deixaram as linhas de produção em Manaus, o que significa um crescimento de 1,6% em relação ao mês de maio, quando foram feitas 103.792 unidades e de 35% quando comparado ao mesmo mês de 2020, que contabilizou 78.130 unidades. As categorias mais emplacadas foram Street (250.131 unidades e 48,4% do mercado), Trail (109.401 unidades e 21,2%) e Motoneta (70.503 unidades e 13,6%). Porém, sempre é bom lembrar que a pandemia trouxe alguns problemas para o setor.

 

De acordo com o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian, o setor vem mantendo seu ritmo de recuperação de forma sólida, e ainda trabalha para atender a demanda reprimida causada pelo Coronavírus. “O setor mantém ritmo de recuperação de forma consistente. Todas as unidades fabris trabalham para recuperar parte do atraso registrado no primeiro bimestre devido à crise sanitária enfrentada pela cidade de Manaus. Com isso, aos poucos, estamos atendendo a demanda reprimida por motocicletas.”

 

Fermanian ainda destaca que as entregas de motocicletas estão se normalizando. “A entrega de modelos de média e alta cilindrada já está regularizada. Já as motocicletas de baixa cilindrada e scooters ainda têm fila de espera e os consumidores precisam esperar um pouco mais”, comenta.

 

O executivo frisa que a produção segue o ritmo esperado pela Abraciclo e não rejeita a possibilidade de revisar para cima a projeção anual, estimada em 1.060.000 motocicletas para 2021. “Se necessário, isso será feito no segundo semestre. Existem condições favoráveis, mas também uma série de fatores, como o aumento dos juros, do índice de desemprego e da diminuição da renda dos brasileiros, que ainda pode impactar o mercado”, explica Marcos Fermanian. “Precisamos avaliar se o que temos hoje é uma demanda cíclica, em função da redução da produção, ou se é algo sustentável”, conclui.

 

Aumentos nas exportações brasileiras

 

No primeiro semestre o volume de exportação de motocicletas foi de 148,7% maior em relação ao mesmo período do ano passado. Isso significa que foram exportadas 26.260 motocicletas produzidas no Brasil. O principal importador é a Argentina, que contabilizou a compra de 8.345 unidades e 30,8% do total exportado. Estados Unidos, 5.838 unidades e 21,6% das exportações e Colômbia com 5.457 unidades e 20,1%, esses são os três países que mais importam do Brasil.

 

“Os Estados Unidos se tornaram um mercado cativo, graças aos investimentos das fabricantes nacionais para aperfeiçoar cada vez mais seus processos produtivos e, com isso, elevar os níveis de qualidade e segurança das motocicletas”, assegura Fermanian.

 




LEIA MAIS: